'

sexta-feira, 1 de julho de 2016

"Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos... todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou… e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar."


Caio Fernando Abreu

14 comentários :

  1. Mais um belo texto de Caio Abreu.
    Um abraço e bom fim de semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  2. Gigi suas escolhas de imagens identificam-se exatamente com o texto.
    Amei.
    Bjs e um lindo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. A minha postagem também é sobre afeto. Lindas as palavras de Caio. Ótimo fim de semana. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Linda, bom final de semana.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  5. O afeto e o carinho nunca é demais...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  6. O afeto e o carinho nunca é demais...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  7. Pura maravilha, Gigi!
    Mais uma partilha adorável! Amei!!!!
    Beijinhos! Bom final de semana, para você!
    Ana

    ResponderExcluir
  8. É uma linda escrita!
    Um pouquinho de afeto é bom de mias...
    Beijinhos florzinha.

    ResponderExcluir
  9. ه.♩♪♫
    Esse texto me fez lembrar a oração de São Francisco.
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.ه♩♫♪

    ♫♪ه° ·.

    ResponderExcluir
  10. Sou...mas quem não é e quem não quer?
    Um abraço

    ResponderExcluir
  11. Caio sempre a falar dos detalhes, do que nos passa, quase sempre, despercebido, mas de grande importância.

    ResponderExcluir